quinta-feira, 28 de maio de 2015

Banda de Música Municipal recebe Reconhecimento do Legislativo

Banda possui mais de 50 instrumentistas
Existente há quase duas décadas, a Escola de Música Maestro Raimundo Vaz vem oferecendo uma alternativa socioeducacional bastante valorizada pela sociedade do município de Santana. Através de aulas práticas, crianças e adolescentes de várias faixas etárias aprendem pela música um caminho positivo para o futuro. 

Funcionando diariamente – nos turnos da tarde e da noite –, as aulas (tanto teóricas como práticas) ocorrem nas dependências da Igreja Templo da Assembleia de Deus de Santana, contendo 14 modalidades instrumentais que vão de aulas de saxofone, teclado, violão, trombone, bateria, flauta e outros instrumentos musicais. 

Com o lema “Educando musicalmente os filhos de Deus”, a entidade (sem fins lucrativos) já formou dezenas de jovens e se mantem de apoios da iniciativa privada e “esporádicos” auxílios da poder público. 

Ensinamentos inclui teórico e prático
Vendo essa necessidade de buscar maiores parcerias, tanto na esfera municipal como estadual, que no início do mês de maio, a Câmara de Vereadores de Santana aprovou por unanimidade um Projeto de Lei (PL) que regulariza a existência da Banda Sinfônica Municipal Maestro Raimundo Vaz, ficando apenas a cargo do prefeito Robson Rocha para sanciona-la ao município. 

Através deste PL, a Escola de Música Raimundo Vaz – que também já mantem uma banda sinfônica que se apresenta constantemente em eventos por todo o Estado – garante maiores direitos jurídicos, sendo agora reconhecida pelo Poder Legislativo santanense, e possivelmente apoiado pelo Executivo Municipal. 

Sua trajetória
Criada pela Lei Municipal nº 0318 de 12 de junho de 1997, o Executivo da época (então prefeito Judas Tadeu Medeiros) autorizou o surgimento de uma entidade voltada para a formação de profissionais ligados à musicalidade regional, com intuito de formar a Banda Municipal de Música da Prefeitura de Santana. Seria o primeiro de tantos outros passos que tomariam até chegar à atual Escola de Música Maestro Raimundo Vaz. 

Até o ano de 2000, poucas ações públicas foram empenhadas para desenvolver a Lei existente, tanto que o assunto chegou a ser diversas vezes mencionado nas reuniões de assembleia, realizado pela então Secretaria Municipal de Cultura de Santana. 

Escola de Música atende jovens entre 07 a 17 anos
Somente em agosto de 2001, que o então secretário municipal de Cultura Edilson Ferro formalizou uma parceria com a Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Santana, apoiando uma escola de música que já vinha sendo desenvolvida por aquela entidade religiosa, podendo assim, em paralelo, constituir a Banda Municipal de Música de Santana. 

Em 2009 seria a vez da Associação “Educar” que se tornaria uma dos parceiros dessa causa, ajudando na confecção e distribuição gratuita de materiais didáticos aos alunos que procuram se manter a longo prazo nas aulas de música, assim como também vem mantendo a circulação de um veículo (marca Kombi), que serve de transporte alternativo para os alunos que residem em bairros mais distantes da entidade. 

Promovendo Cidadania
Atualmente, a missão da Banda Sinfônica Municipal de Santana vem sendo promover ações de educação, cultura e na formação moral através do ensino musical sistematizado e gratuito, oferecendo acesso à cidadania a toda sociedade santanense e de outros municípios do Estado quando convidados. É o nascimento de uma nova e real possibilidade de inclusão sociocultural de crianças e adolescentes, oportunizando aos mesmos, melhoria em sua qualidade de vida. 

Seguindo nesse contexto que, numa recente parceria entre a Secretaria Municipal de Educação de Santana (Seme/STN) e a Igreja Evangélica Assembleia de Deus (Templo Central de Santana), o Poder Público passaria a gerenciar a iniciativa, com a aquisição periódica de novos instrumentos para a Escola de Música Maestro Raimundo Vaz. 

Com pouco mais de 50 componentes, em sua maioria, formada por jovens infanto-juvenis entre 07 a 17 anos de idade que poderiam está em vulnerabilidade social, todos consistem em sua formação instrumental (a banda) sinfônica, mesmo apesar de vários alunos residirem em bairros distintos (distantes) do local-sede onde ocorrem as aulas musicais, que incluem a teoria sinfônica (estudo teórico das melodias e sinfonias) até chegar à prática instrumental (uso dos instrumentos musicais que melhor podem se adequar). 

Maestro Ney Balieiro
Ney Balieiro: Um Servo dedicado
Há pouco mais de uma década o pedagogo Ney Balieiro vem dedicando uma boa parte de seu tempo na descoberta de novos talentos. Assumiria a responsabilidade didática de maestro da Escola de Música Raimundo Vaz. 

Além da formação de Magistério, incluindo uma pós-graduação em Pedagogia, Ney Balieiro também se tornou especialista na Metodologia do ensino da música, onde buscou se aprimorar em técnicas vocais e em regência de bandas e orquestras. Tudo em prol desse projeto social. 

Para quem o conhece, deixa bem claro que sua escolha para liderar simultaneamente as aulas da Escola de Música e a Banda Sinfônica foi uma indicação divina. 

“Além da paciência que ele procura manter nas aulas, nos passa segurança naquilo que estamos fazendo”, disse a acadêmica Karina Fernandes, que já acompanhou algumas aulas de música com o maestro, porém, a carga horária entre a faculdade e o trabalho tornou seu tempo mais curto para que tivesse continuidade nas aulas. Mas Karina já sugeriu para vários colegas de trabalho sobre a escola de música. “Tenho alguns vizinhos que ingressaram na escola e até já tocaram em locais públicos. Tudo graças a esse trabalho empenhado pelo Ney”, elogiou a acadêmica. 

Suas finalidades sociais e culturais
A Banda Sinfônica Municipal tem como suas atribuições: 

- Executar números musicais em atos solenes oficiais no âmbito do município de Santana, assim em eventos cívicos, sociais e culturais ou artísticos quando solicitadas; 

- Incentivar a musicalidade no município de Santana, buscando motivar o ingresso de novos instrumentistas em seu quadro de músicos, bem como introduzir noções de cidadania, deveres, direitos, justiça, equidade, amor à Pátria, respeito às leis e às autoridades; 

- Atender a convites sociais para apresentações públicas em outras localidades. 

Novos Alunos
Quem deseja integrar nas aulas de música, basta procurar a secretaria da Escola de Música Maestro Raimundo Vaz, localizada nas dependências internas da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Santana, na Rua Salvador Diniz 429, bairro Comercial, trazendo cópias de seus documentos (RG, CPF, comprovante de residência). 

Tendo entre 07 a 17 anos, os alunos terão inicialmente aulas teóricas no contra-turno de seu horário letivo escolar, duas vezes por semana.

Rainha do crack já está no Iapen será julgada em Santana

Elmer chegou ontem em Macapá
Chegou a Macapá no fim da tarde desta quarta-feira (27/05), em voo comercial, Elmer Helen Oliveira Melônio, 34 anos, considerada pela polícia como a maior traficante de drogas do Amapá. 

Ela foi transferida do presídio estadual do Pará, onde estava desde fevereiro deste ano. Elmer Helen chegou por volta de 17h30min em um voo comercial escoltada por agentes da Polícia Civil do Pará. 

Ainda no aeroporto ela foi entregue a uma equipe de oito homens da Policia Civil do Amapá. Ela foi escoltada por dois carros descaracterizados até a Polícia Técnica para fazer exame de corpo de delito. 

Em seguida foi encaminhada para o Iapen, onde vai aguardar a primeira audiência que acontece no Fórum de Santana no dia 08 de junho. 

Elmer Helen, a "Rainha do crack"
A traficante estava presa no Pará desde fevereiro quando foi detida em uma pousada localizada em Mosqueiro. Dois dias depois da apreensão de 155 quilos de crack de propriedade da quadrilha que ela chefiava no Amapá. 

Segundo as investigações, Elmer assumiu o comando da quadrilha depois que o irmão dela, Wagner Melônio, e o marido, Luiz Carlos Teixeira, o Carlinhos, foram presos. 

Hoje os dois estão em prisões de segurança máxima no Pará e no Paraná. As investigações apontam que ela comandava a distribuição da droga usando a pousada como fachada. 

Também em fevereiro foram presos o tesoureiro da quadrilha, Benedito Paiva Mendes, que residia no Bairro Remédios II, de onde comandava o transporte da droga entre o Pará e o Amapá, e o caseiro, Antenor silva Picanço, que estava na chácara onde o entorpecente foi apreendido. Um outro envolvido está foragido.

"Apagão" atingiu meio milhão de amapaenses

Blecaute atingiu seis municípios
Um provável curto-circuito ocasionado uma subestação elétrica foi o motivo de ter deixado boa parte dos moradores da capital amapaenses e de outros seis (06) municípios sem o fornecimento por algumas horas na manhã desta quinta-feira (28/05). 

Segundo informações repassadas pela gerência regional da Centrais Elétricas do Norte S/A (Eletronorte/AP), o problema aconteceu por volta das 09hs da manhã, quando uma "pane" atingiu o sistema isolado de distribuição termelétrica que fornece energia para uma parte da cidade de Macapá, e alguns municípios do sudoeste e noroeste do Estado do Amapá, interrompendo o fornecimento até às 11hs desta manhã, quando o sistema pôde novamente ser restabelecido.

O gerente da Eletronorte no Amapá, Engenheiro Marcos Drago, explicou que o curto-circuito atingiu um dos alimentadores da subestação Equatorial, localizada na entrada do bairro Zerão, na Zona Sul de Macapá, onde o problema comprometeu o sistema isolado movido a combustível para todo o Estado. 

"Não podemos precisar onde começou o curto-circuito, mas os técnicos pediram autorização da CEA [Companhia de Eletricidade do Amapá] para energizar o alimentador. No momento em que religamos ele, houve uma explosão pois o 'curto' ainda estava em andamento. Nessa explosão, houve um blecaute no sistema isolado que atingiu esses municípios", detalhou Drago. 

Além do "apagão" em parte da capital, a interrupção elétrica atingiu totalmente os municípios de Santana (com mais de 100 habitantes), Ferreira Gomes, Amapá, Mazagão, Calçoene e Tartarugalzinho. 

Estima-se que  mais de 500 mil pessoas ficaram sem energia elétrica por mais de duas horas. Este foi o 4º apagão somente este ano de 2015. 

Nota: algumas informações colhidas do G-1 Amapá

quarta-feira, 27 de maio de 2015

STTRANS continua cobrando retorno de itinerário intermunicipal pelo bairro Fonte Nova

Ônibus poderiam seguir rota mais viável
A Superintendência de Transportes e Transito do Município de Santana (STTRANS), emitiu esta semana, uma Nota Pública à população santanense – vem esclarecer aos moradores do município e em especial aos moradores do bairro Fonte Nova – , que o referido órgão municipal, dentro de sua competência vem constantemente solicitando e tomando providencias cabíveis, quanto a mudança inesperada do itinerário da rota dos ônibus intermunicipais Santana/Macapá. 

Na nota, o órgão esclarece que várias foram formalizadas com o Ministério Público de Santana, juntamente com o empresário Décio Melo (proprietário da Empresa Sião Thur, única concessora da linha rodoviária em questão), onde na ocasião foi sugerido à empresa que a rota dos coletivos intermunicipais fosse restabelecida pela Rua Abílio Rodrigues (uma rua paralela à Rua Everaldo Vasconcelos, já que esta via encontra-se sem condições de trafegabilidade); com essa mudança de itinerário, os moradores do bairro Fonte Nova – e de outros quatros bairros (Fé em Deus, Laranjeiras, Jardim de Deus I e II) – seriam novamente contemplados com o serviço público de coletivos Intermunicipais. 

Cópia de ofício endereçado ao Setrap
“Ressaltamos que os usuários não podem ser penalizados e com isso a STTRANS vem buscando alternativas para que o serviço não seja interrompido”, assim dizia um trecho da Nota de Esclarecimento emitida pelo STTRANS. 

Ainda, o órgão informou que o tal transporte das linhas de ônibus Macapá-Santana e da linha Km-9 são de extrema competência de fiscalização da Secretaria de Transportes do Estado (Setrap), ou seja, de responsabilidade por de um órgão estadual, por se tratar de uma linha intermunicipal. 

Além de já terem protocolado vários requerimentos, endereçados à empresa Sião Thur, e até mesmo direcionados ao governador do Amapá Waldez Góes, onde chegam a solicitar reuniões entre a referida empresa de ônibus e os órgãos fiscalizadores municipais e estaduais, a Superintendência de Transportes de Santana, até então, não obteve qualquer resposta por parte do titular da Setrap, o Senhor Odival Monterozzo, porém, informou que continuará efetuando cobranças.

terça-feira, 26 de maio de 2015

Polícia continua procurando suspeito de assaltar farmácia em Santana

Assalto aconteceu no final de tarde
A Polícia Civil do Amapá continua à procura do suspeito que realizou um assalto em plena luz do dia, no último final de semana no município de Santana. O alvo foi um estabelecimento farmacêutico, localizado no bairro Fonte Nova, pertencente a um conhecido empresário da cidade. 

Segundo informações de funcionários que trabalham nessa conhecida rede de farmácias da cidade (que tem ao todo três estabelecimentos espalhados), o fato por volta das 18hs do último sábado (23/05), quando um homem, usando um boné e aparentando ter em torno de 35 a 40 anos, entrou na farmácia e ao se aproximar do balcão de pagamento (caixa), levantou a camisa, mostrando está armado de um revólver e anunciou o assalto para o funcionário de prenome Eder. 

Farmácia assaltada fica no bairro Fonte Nova
De acordo com o vídeo registrado pelo sistema de câmera interna da farmácia, a ação não durou dois minutos, onde o assaltante mandou o funcionário colocar todo o dinheiro existente no caixa, e depois saindo calmamente pela única porta de acesso ao ponto comercial. 

Logo após a ação, a Polícia Militar e Civil foi acionada e ao chegar no local, fizeram várias rondas nas imediações, mas não puderam captar o suspeito.

Procura
Assim com as imagens que foram registradas pelas câmeras internas do local, a Polícia Civil já recolheu o depoimento de todos os funcionários da farmácia que estavam presentes no momento do fato, como forma de buscar o maior número de detalhes sobre o assaltante. Não foi informado o valor oficial que foi levado pelo assaltante.

Um morador que reside nas proximidades da farmácia (que preferiu não se identificar) chegou a comentar com alguns policiais de que o possível suspeito havia passado várias vezes pela Rua 07 de Setembro (endereço onde está situada a farmácia), como estivesse analisando o movimento de populares para que pudesse desenvolver sua ação sem chamar atenção das pessoas que circulam no trecho. 

Até ontem (26), a Polícia Civil ainda não havia repassado qualquer informação sobre o andamento das investigações. O blog tentou contato com o proprietário da Rede de Farmácias "Anastácia" em Santana, para informar sobre o fato, mas não houve êxito.

Senador Randolfe oferece apoio para desenvolver Porto de Santana

Senador Randolfe Rodrigues
O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) esteve na manhã dessa segunda-feira, 25/05, na Companhia Docas e Santana (CDSA) com o presidente, Eider Pena, tratando sobre estratégias para desenvolvimento do Amapá. Randolfe vai articular uma agenda com a Secretaria Especial de Portos (SEP) e com o Comando da Marinha. 

De acordo com o presidente da CDSA, existem perspectivas favoráveis de crescimento, apesar das dificuldades na economia no país. “Para se habilitar as oportunidades nós precisamos ampliar o píer. Elaboramos um plano de expansão que aponta essas soluções, inclusive com a construção de terminal de passageiros, orçado em cerca de R$30 milhões”, explicou Eider. A CDSA possui dois píeres um de 150 m e outro de 200 m. “Nós somos a melhor opção de rota, mas não temos infraestrutura suficiente para atender o mercado”, completou. 

O senador, que em 2011, já havia incluído R$100 mi ao Plano Plurianual (PPA) do Governo Federal para a CDSA reconhece a importância do local para desenvolvimento da economia do estado. “O Amapá é um ponto estratégico geograficamente, precisamos nos aproveitar dessa vantagem e garantir desenvolvimento para o povo, geração de emprego e renda, além de uma saída econômica”, afirmou. Segundo a CDSA primeira movimentação com cargas produzidas pelo cerrado amapaense está prevista para 2015 com navios carregados de soja. 

A construção do Porto de Santana (antigo Porto de Macapá) foi iniciada em 1980, inaugurada em seis de maio de 1982, com a finalidade original de atender à movimentação de mercadorias por via fluvial, transportadas para o Estado do Amapá e para a Ilha de Marajó. Todavia, pela sua posição geográfica privilegiada, tornou-se uma das principais rotas marítimas de navegação, permitindo conexão com portos de outros continentes, além da proximidade com o Caribe, Estados Unidos e União Européia, servindo como porta de entrada e saída da região amazônica. Em dezembro de 2002 foi criada a Companhia Docas de Santana.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Pontos limitados para pagamento de contas deixa santanense impaciente

Longas filas se formam por falta de postos
Vem se tornando comum ver longas filas incalculáveis de pessoas que procuram locais que oferecem pelos serviços de pagamentos de contas de água, energia e telefone. 

Os motivos que estão possivelmente causando a formação dessas filas se deve à pelo menos duas razões, segundo o auxiliar de enfermagem Rosinaldo Mesquita. 

“Em vez da fatura de energia elétrica chegar no início do mês para facilitar com a data do nosso pagamento, ela chega atrasada, e quando procuramos um local para pagar a fatura, o sistema está inoperante. Aí temos que sofrer procurando um lugar credenciado para pagar”, conta o enfermeiro, que enfrenta mensalmente diversas filas para efetuar o pagamento de suas contas. 

Segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas de Santana (CDL-STN), até 2012, havia na área urbana do município, cerca de 10 pontos que ofereciam serviços opcionais de pagamentos de contas e faturas, que facilitavam o atendimento para a população local. 

“Eram quatro (04) casas lotéricas que tinham em Santana que, somando com várias farmácias e lojas de confecções, ajudavam nesse serviço de pagamento de contas. Mas algumas lojas achavam que não tinham um lucro significativo com esse tipo de serviço e preferiram deixar de atender esses pagamentos”, explicou a farmacêutica Márcia Coutinho, que trabalhou nos serviços de quitação de faturas em um estabelecimento farmacêutico que era credenciado para tais serviços. 

De acordo com Márcia, os locais credenciados para esses pagamentos tinham que respeitar mensalmente um prazo para prestarem contas com as concessionárias que forneciam esses serviços, o que lamentavelmente não eram sempre cumpridos pelos postos. 

“A CEA (fornecedora de energia elétrica no Amapá) e a CAESA (fornecedora de água) estipulavam uma data fixa para repassarem os valores e os canhotos (código de barra da fatura) para que pudessem ser dado baixa em seus sistemas, mas nem todas as lojas obedeciam o prazo, e algumas nem chegavam a passar todos os valores quitados, o que gerava um conflito administrativo entre as partes”, continuou. 

Nos postos limitados, funcionam poucos caixas
Com a redução desses pontos credenciados, ficou apenas seis (06) locais que, limitadamente, buscam atender a demanda consumidora da segunda maior cidade do Amapá, que são: duas farmácias, duas Casas Lotéricas, uma agência dos Correios e uma loja de eletrodomésticos. 

Sistema Inoperante
Contudo, apesar desses locais prestarem um serviço de maneira terceirizada, ainda sofrem com as constantes perdas de seus sistemas de gerenciamento (ficam inoperantes), o que acaba deixando os usuários que consomem esses serviços impacientes, que chegam a passar horas aguardando pela normalização do sistema de faturamento. 

“Como ocorre muita queda de energia elétrica, a Internet acaba ficando lenta e dificulta a quitação dessas faturas, por essa razão que demoram para quitar um valor. Se Deu quiser, quando a Internet for mais rápida no Amapá, acredito que haverá mais agilidade nesse atendimento, independente de quantos pontos houverem para atender a população”, enfatizou Márcia.