terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Waldez Góes articula retomada do “Fórum dos Prefeitos”

A equipe de transição do governador eleito Waldez Góes (PDT) reuniu na tarde desta segunda-feira, 15/12, com representantes executivos dos 16 municípios do estado. Na reunião, a equipe de Waldez Góes apresentou aos prefeitos a proposta de relação entre o Estado e as prefeituras a partir de 2015. Ficou definido, por exemplo, que a cada três meses haverá reunião para definir as prioridades de cada comunidade. É uma forma de recriar o “Fórum dos Prefeitos”. 

O fórum foi uma das estratégias adotadas nos dois primeiros mandatos de Waldez Góes. “O ideal é que as reuniões aconteçam de três em três meses. É a maneira que encontramos para estreitar os laços com os prefeitos e garantir que os problemas sejam resolvidos aos poucos. Dessa forma não haverá acúmulo de demandas”, explicou Góes. 

De acordo com um levantamento feito previamente junto a cada município, os problemas imediatos passam pela saúde e educação. “Essas são duas áreas que União, Estado e Municípios devem andar juntos. Dessa forma, os problemas estruturais não se acumulam, evitando problemas extremos. Mas para isso teremos que garantir que as reuniões aconteçam dentro dos prazos para que possamos montar estratégias rápidas”, acrescentou. 

O prefeito de Macapá e presidente da Associação dos Prefeitos, Clécio Luiz (Psol), disse que o programa é bom para a solução de problemas que as prefeituras enfrentam há muito tempo. Um exemplo é o projeto de municipalização do ensino, onde as prefeituras têm o dever de atender os alunos da rede pública até o 5º ano. “Se colocado em prática o projeto vai ser muito importante para que os municípios possam aproveitar mais as ações que necessitam de contrapartidas”, avaliou Clécio. 

Outro prefeito que falou sobre o encontro foi Robson Rocha (PTB), de Santana, destacando que por um longo tempo a prefeitura do segundo maior município do Estado ficou desassistida. “Se o projeto funcionar como o que foi repassado aqui, poderemos solucionar várias demandas que temos em Santana e que necessitam de recursos. São projetos que não saíram do papel, pois as negociações com a atual gestão sempre esbarravam em entraves”, reclamou santanense. 

Depois da reunião foram marcados encontros futuros de forma individual, para que cada município e suas especificidades possam ter atenção maior da nova gestão.

Servidora Pública é acusada de 12 assaltos em Santana

Um vídeo gravado nesta segunda-feira (15) dentro da sala da delegada Luíza Rosa Maia, da 1ª Delegacia de Polícia de Santana, mostra a prisão de uma professora dos quadros do Estado, acusada de participar de assaltos na cidade. Edna Maria Ferreira da Costa, de 39 anos, e o comparsa, Waurio Costa Lima, de 30 anos, com quem teria um relacionamento amoroso, teriam realizado pelo menos 12 roubos nas últimas semanas, todos na frente de escolas. 

Há 15 dias, a Polícia Civil de Santana começou a investigar casos de “saidinha de escola”, quando o rastreamento de um celular roubado levou os policiais à identidade da professora. “Chegamos até um receptador e depois até a professora, que foi reconhecida por testemunhas e vítimas. Ela confessou os crimes depois de presa, acusando, inclusive, uma sobrinha menor de idade de participação em outros roubos”, explicou o agente Adelson Gomes, da 1ª DP. 

Edna Costa é professora do contrato administrativo do Estado, lotada na Escola Estadual Everaldo Vasconcelos, no Bairro Paraíso. “Ela e o comparsa ficavam bebendo o dia inteiro e quando o dinheiro acabava saiam para fazer os roubos. Ela participava ativamente dos assaltos dando fuga em sua moto”, garante o agente. 

A polícia procura agora por Waurio Costa Lima, que seria pescador. Era ele quem, de acordo com as investigações, rendia as vítimas com facas e um revólver, enquanto Edna esperava na moto. A compleição física da professora ajudou as vítimas a fazer o reconhecimento. “Forte e loura”, resumiu o policial.

Polícia caça assassinos de sargento. Um suspeito já foi preso

A Polícia Militar continua atrás de pistas de dois dos três suspeitos de participar da execução do sargento Wanderley Costa Araújo, de 46 anos, na noite de sábado, 13. Um suspeito foi preso pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope) em Macapá, durante os cercos feitos na madrugada deste domingo, 14. A PM afirma já ter identificado todos os envolvidos. 

Após a morte, a Polícia Militar realizou diligências em Macapá e Santana. O veículo usado no crime foi encontrado abandonado no Bairro Provedor, em Santana. Dentro haviam algumas roupas. Até agora está sob a custódia da polícia Railton Cardoso Araújo. De acordo com a PM, ele aparece na companhia dos assassinos em imagens do circuito de segurança de um posto de gasolina minutos antes do crime. Railton foi preso suspeito de ajudar na fuga dos assassinos. Foto: Railton foi preso suspeito de ajudar na fuga dos assassinos. 

Além das buscas, a polícia se concentra agora na coleta de evidências. “Nós já reunimos vários vídeos que mostram por onde o carro usado na fuga passou antes de chegar ao bar em que ocorreu o assassinato. Já temos a identidade dos outros dois suspeitos, agora continuaremos as buscas”, explicou o sargento Martins, do 4º Batalhão. 

O velório do sargento está acontecendo na Funerária Central Pax, localizada na Avenida Ubaldo Figueira, em Santana. 

O sargento, que estava na corporação há 25 anos, foi morto numa confraternização em um bar localizado na Avenida de Santana, próximo à Área Portuária. Dois suspeitos chegaram por trás e dispararam três vezes contra o PM, que foi atingido na cabeça. Enquanto isso, um terceiro suspeito, que de acordo com a PM é Railton Cardoso Araújo, esperava dentro do carro para dar fuga aos dois assassinos. 

Agora a PM está atrás de um suspeito conhecido como “Tafarel”. Segundo testemunhas, ele teria efetuado o disparo fatal com Wanderley, que não teve tempo de se defender. A arma do policial foi levada pelos homicidas.

Dor e revolta marca sepultamento de policial

A notícia da morte do 2º sargento da Polícia Militar, Wanderley Costa Araújo, 46, chocou os colegas de farda do policial, principalmente do 4º Batalhão de Polícia Militar (4º BPM), onde ele desempenhava suas funções no setor administrativo. Entre os familiares, o desespero foi ainda maior. 

Durante o velório e sepultamento, que ocorreu na tarde de domingo (14) no cemitério de Santa Ana, em Santana, os sentimentos de dor e revolta dividiam os semblantes de amigos e parentes. “Queremos justiça. Não é porque foi um policial, antes de tudo foi um ser humano, um pai de família que teve a vida arrancada de seu peito da pior forma possível. Queremos que os responsáveis paguem pelo ato. Eles não destruíram apenas um policial, destruíram uma família inteira”, disse no cemitério um sargento que era tido como um dos melhores amigos de Wanderley. 

Com honras militares o caixão do sargento foi baixado para a cova. O comando da Polícia Militar afirmou que todas as medidas estão sendo tomadas para amparar a família do militar e localizar os responsáveis pela execução.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Coral do TJAP se apresenta na inauguração do Cartório da 6º Zona Eleitoral de Santana

Nesta segunda-feira (15/12), a inauguração do Cartório da 6ª Zona Eleitoral do município de Santana contou com uma programação especial. Autoridades, membros do Judiciário, servidores convidados e a população em geral, puderam assistir mais uma emocionante apresentação do Coral do Tribunal de Justiça do Amapá. 

O Coral do TJAP, acompanhado da Orquestra Filarmônica Equinócio das Águas, entoou canções emocionantes e em vários ritmos para encantar e alegrar os convidados. 

A apresentação faz parte do projeto Cantata Itinerante que leva canções natalinas a vários lugares, a exemplos de igrejas, associações, órgãos públicos e privados, com a finalidade de difundir a prática da musicalidade e transmitir o espírito natalino a todos os expectadores. 

Durante a solenidade o Presidente do Tribunal Regional Eleitoral, Desembargador Raimundo Vales, elogiou o Coral pela colaboração e pela escolha das músicas e falou sobre o empenho e a colaboração de vários órgãos públicos e da Justiça Federal para a realização da obra. 

“É um prazer estamos entregando essa obra ao som de uma composição tão linda e emocionante, num momento tão alegre e em período de Natal. Esse projeto é uma realização conjunta, feita para o melhor atendimento a população. Temos uma ótima relação com os órgãos públicos e essas parcerias possibilitaram mais ainda esse fruto.” 

A solista do Coral do TJAP, Márcia Fonseca fala sobre a alegria de poder levar emoção e encanto para a população de Santana e de fazer parte de um momento histórico. 

“A apresentação foi linda e estamos muitos felizes em fazer parte desse momento histórico para a Justiça Eleitoral no município de Santana. Temos o privilégio de fazer parte desse momento e poder levar o nome do Tribunal de Justiça a várias instituições é sempre uma satisfação”. 

O Cartório da 6ª Zona Eleitoral que antes funcionava no Fórum da Comarca de Santana, agora está localizado na Rua D13, lote 2, na Vila Amazonas e já está sendo utilizado pelo eleitorado da cidade.

domingo, 14 de dezembro de 2014

Polícia captura um dos suspeitos de matar sargento em Santana

Um dos três suspeitos envolvidos no assassinato do Sargento da Polícia Militar Wanderley do Socorro Costa Araújo, no final da tarde deste sábado (13/12) na Área Portuária de Santana, foi preso pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope), em Macapá, e encaminhado ao Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), no bairro Pacoval, Zona Norte da capital. A captura ocorreu ainda nas primeiras horas desse domingo (14).

O sargento foi morto com um tiro na cabeça, quando se encontrava em um bar na Área Portuária do município. De acordo com a PM, o suspeito preso tem 25 anos e chegou a ser reconhecido por testemunhas. 

O 4° Batalhão informou que o Sargento estava em dia de folga no momento do assassinato. Os três suspeitos do homicídio estavam jogando sinuca no estabelecimento comercial antes de cometerem o crime. Eles teriam saído do bar e retornado com uma arma de fogo, conforme relatos de testemunhas à polícia. Antes de disparar contra o sargento, um deles ainda teria dado uma paulada na cabeça da vítima. Não houve discussão entre os envolvidos. Wanderley Costa tinha 25 anos de corporação militar e recentemente havia sido promovido para a patente de sargento. 

Nenhuma quantia em dinheiro ou eletroeletrônico carregado com a vítima foram levados. Apenas uma arma de fogo em posse do sargento foi roubada pelos suspeitos. Até a manhã deste domingo (14) os outros dois não haviam sido presos pela Polícia Militar.

Sargento da PM é executado a tiros em Santana

Um sargento da Polícia Militar, lotado no 4º Batalhão, foi executado a tiros na noite deste sábado, 13/12, em um bar na Avenida Santana, localizado na área portuária do município de Santana (nas proximidades do portão de entrada da mineradora Zamin). O crime aconteceu por volta das 19 horas. 

Segundo testemunhas, dois homens desceram de um carro preto, atravessaram a avenida e surpreenderam o policial que estava na companhia de amigos. Ele não teve chance de reagir. Walderley do Socorro Costa Araújo, de 46 anos, morreu ainda no local. Um dos tiros acertou a cabeça do policial. “Foi uma execução”, resumiu um capitão da PM que participava das buscas. 

Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope), do 4º Batalhão e do Batalhão de Policiamento Rodoviário iniciaram um cerco em vários trechos que dão acesso ao município de Santana. Testemunhas disseram que um dos atiradores era moreno, forte, e tinha os cabelos cumpridos presos por um “rabo de cavalo”. 

Funcionários de um posto de gasolina que fica próximo do bar informaram que o carro usado pelos bandidos, um Gol preto com detalhes esportivos, tinha acabado de abastecer antes do crime. Logo após a execução, o veículo seguiu em disparada pela Rodovia JK, no sentido para o Igarapé da Fortaleza. Cerca de duas horas depois o veículo foi encontrado em uma rua próximo ao Fórum de Santana. 

O cerco aos bandidos causou grande engarrafamento de veículos na Rodovia JK, no sentido para Macapá. Policiais colegas da vítima acham que o crime foi uma vingança depois de uma operação policial realizada há dois meses, onde Wanderley teria alvejado um suspeito. Até às 22 horas de ontem (13), nenhuma prisão ainda tinha sido efetuada.